Santos admite número significativo de desaparecidos em deslizamento

(Corrige título).

Bogotá, 5 abr (EFE).- O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, admitiu nesta quarta-feira que o deslizamento que devastou há cinco dias parte da cidade de Mocoa, no sul do país, além dos 293 mortos confirmados até agora, também deixa um grande número de desaparecidos.

"Até esta manhã 467 pessoas reportaram parentes como desaparecidos. Foi possível localizar 153, 119 com vida, mas infelizmente 34 falecidos", disse Santos em uma declaração em Bogotá, na qual anunciou novas medidas para fazer frente à catástrofe.

O desastre natural no sul da Colômbia foi ocasionado pelo transbordamento dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos, que passam pela cidade e que arrasaram vários bairros em consequência da forte chuva que caiu na noite da última sexta-feira.

Embora o chefe de Estado não tenha informado dados concretos, o número de denúncias permite supor que pode haver mais de 200 desaparecidos sob as toneladas de terra e barro em alguns bairros de Mocoa, como o de San Miguel.

Santos disse que o governo segue trabalhando sem descanso para "apoiar os afetados" da tragédia, que praticamente devastou 17 bairros de Mocoa, capital do departamento de Putumayo.

O mais recente relatório do Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Legistas indicou que o número de vítimas mortais do deslizamento aumentou para 293 nesta manhã.

O registro aponta 176 mulheres e 110 homens falecidos, enquanto não foi possível determinar o sexo e a identidade de outros sete corpos.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos