May diz que ataque com armas químicas na Síria é "desprezível"

Londres, 6 abr (EFE).- A primeira-ministra britânica, Theresa May, tachou nesta quinta-feira de "desprezível" o suposto ataque com armas químicas na Síria, no qual morreram mais de 80 pessoas.

As declarações da líder britânica foram feitas hoje durante uma visita a Nottinghamshire (norte da Inglaterra), onde afirmou que, se "for demonstrado que o ataque foi perpetrado pelo regime de Bashar Al-Assad", mostrará a "barbárie" de atuação do regime.

A chefe do governo sustentou que nesse caso "todos os que estão apoiando o governo de Assad, incluindo a Rússia", deveriam usar sua influência para "conter os bombardeios" e que o governo sírio deixe "de tratar sua gente de uma forma tão horrível".

Além disso, a primeira-ministra afirmou que a Organização para a Proibição das Armas Químicas "investigará o ocorrido em breve e acabará com as todas as dúvidas".

May fez estas declarações depois que o governo americano se uniu às acusações de que o bombardeio foi perpetrado pelo regime sírio, embora Moscou -aliado-chave de Assad- manteve que este aconteceu após o bombardeio de um avião sírio a um estoque de armas químicas dos rebeldes.

Por sua vez, o governo sírio nega as acusações e seu ministro das Relações Exteriores, Walid Muallem, reiterou hoje em Damasco que o Exército de seu país "não usou e nem usará nunca" armas químicas.

Na terça-feira, mais de 80 pessoas perderam a vida após serem alvo de um bombardeio com agentes químicos na cidade setentrional síria de Khan Shaykhun.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos