Unicef pede fim do "horror" da guerra na Síria após suposto ataque químico

Amã, 6 abr (EFE).- O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) pediu nesta quinta-feira o fim imediato do "horror" da guerra civil na Síria, após o suposto ataque com substâncias químicas ocorrido na terça-feira na cidade de Khan Sheikhoun, na província de Idlib (norte) e que, segundo esta agência da ONU, matou 27 crianças.

"Não se pode permitir que continue o assassinato de crianças na Síria", disse o diretor regional do Unicef, Geert Cappelaere, em comunicado.

Na nota, o Unicef constatou que além da morte de 27 crianças no ataque, entre os 546 feridos há um grande número de menores.

De acordo com a ONG Observatório Sírio de Direitos Humanos, pelo menos 86 pessoas morreram, entre elas 30 menores e 20 mulheres.

Os grupos opositores acusaram o regime sírio do ataque, enquanto as autoridades da Síria e da Rússia negaram. Segundo a versão dos Estados aliados, a tragédia aconteceu porque a aviação síria bombardeou um "armazém terrorista" no qual havia substâncias tóxicas.

"Todas as partes do conflito e aqueles que têm influência sobre elas devem pôr fim imediatamente a este horror", ressaltou Cappelaere.

O Unicef e seus parceiros estão dando apoio a três clínicas ambulantes e a quatro hospitais para oferecer ajuda de primeiros socorros e tratamento aos afetados pelo ataque, lembrou o órgão no comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos