Espanha vê bombardeio dos EUA à Síria como "resposta medida e proporcionada"

Madri, 7 abr (EFE).- O governo espanhol considerou nesta sexta-feira que o bombardeio dos Estados Unidos contra uma base militar na Síria "é uma resposta medida e proporcionada" à utilização de armas químicas pelo exército sírio contra a população civil do país.

O Executivo liderado por Mariano Rajoy (PP, centro-direita) assegurou em comunicado que a ação americana "é limitada em seu objetivo" e acrescentou que tratou-se de um ataque contra uma base militar, "não contra alvos civis".

O governo espanhol afirmou que o uso de armas químicas é proibido pelo Direito Internacional e constitui "um crime de guerra" e acrescentou que a operação buscava "minguar as capacidades do regime para que não voltasse a utilizar este tipo de armas com a população".

A Espanha mantém sua "sólida lealdade" aos aliados e lamenta que não se possa realizar uma "ação arrumada internacional" pelo bloqueio do Conselho de Segurança das Nações Unidas no conflito sírio.

O socialista PSOE (líder da oposição) reivindicou "encontrar um guarda-chuva de legalidade internacional" para poder intervir e pôr fim à guerra da Síria, enquanto o Podemos (esquerda, terceira força no Congresso) uniu-se a este pedido e considerou de "máxima gravidade" que o lançamento de mísseis tenha sido feito desde porta-aviões baseados em Rota (sul da Espanha).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos