França quer pressionar Rússia e Irã para solucionar guerra na Síria

Túnis, 7 abr (EFE).- O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, apostou nesta sexta-feira em Túnis por manter a pressão sobre Irã e Rússia como via para forçar uma solução política ao conflito na Síria sobre a base das resoluções da ONU.

Em uma coletiva de imprensa oferecida junto seu colega tunisiano, Yusef Chahed, Cazeneuve advertiu, além disso, contra os ataques químicos em Khan Sheikhun, atribuídos ao regime do presidente sírio, Bashar al-Assad, dizendo que deve haver "uma resposta multilateral", em aparente alusão ao bombardeio unilateral feito hoje pelos EUA contra uma base aérea síria.

"O que vimos não é uma surpresa. Não existe uma solução para a Síria, seja o processo que iniciou a resolução da ONU, ou o diálogo de Genebra", lembrou.

"Os ataques químicos não podem ficar impunes e exigem a resposta da comunidade internacional", disse.

Cazeneuve reiterou que a estratégia deve acontecer para "manter a pressão sobre os aliados de Síria - Rússia e Irã - para que sejam aplicados esses princípios da legalidade internacional e haja uma solução política".

Já o chefe do Governo tunisiano se limitou a lembrar que seu país condenou os ataques e exigiu a abertura de uma investigação internacional.

"Condenamos os ataques e pedimos que seja aberta uma investigação que esclareça, determine os culpados e aplique a legalidade internacional ", afirmou.

Cazeneuve chegou ontem à noite a Túnis no marco de uma excursão pelo norte de África destinada a estreitar a cooperação política e econômica com a região.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos