Marcelo Odebrecht diz que repassou US$ 3 milhões à campanha de Ollanta Humala

Rio de Janeiro, 12 abr (EFE).- O empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht detido desde junho de 2015 por sua vinculação com os escândalos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato, assegurou ter repassado US$ 3 milhões para a campanha presidencial de Ollanta Humala no Peru.

Segundo sua delação premiada, o executivo admitiu que, a pedido do então ministro da Fazenda, Antonio Palocci, entregou, "via Setor de Operações Estruturadas, US$ 3 milhões ao candidato à presidência de Peru, Ollanta Humala" para a campanha presidencial de 2010.

A Odebrecht é investigada por ter subornado governos e autoridades de uma dúzia de países de América Latina e África para obter importantes contratos.

Marcelo Odebrecht foi detido em junho de 2015 e condenado a mais de 19 anos de prisão, enquanto Palocci foi detido em setembro de 2016 acusado de intermediar entre o governo e a construtora para o pagamento de propinas e subornos em troca da obtenção de contratos.

Segundo o Ministério Público, Palocci mantinha uma conta corrente junto com a construtora na qual recebia valores que posteriormente seriam repassados ao PT.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos