China cogita ter 3º porta-aviões, o primeiro nuclear, segundo especialista

Pequim, 14 abr (EFE).- A Marinha da China, que conta com um porta-aviões (o Liaoning) e está a ponto de concluir o segundo, considera a possibilidade de ter um terceiro, neste caso movido por energia nuclear, segundo um especialista militar citado nesta sexta-feira pelo jornal oficial "Diário do Povo".

"O terceiro porta-aviões aproveitará os êxitos alcançados, e inclusive poderia ser nuclear", antecipou o analista Xu Guangyu, ao comentar as mudanças na Marinha chinesa.

Xu ressaltou que o desenvolvimento deste tipo de navio na China está sendo lento, mas ininterrupto, e apontou para outras diferenças que o terceiro porta-aviões poderia ter em relação aos dois anteriores.

Poderia variar, por exemplo, na forma de decolagem, que no caso dos dois primeiros porta-aviões chineses é realizada por meio de uma tradicional pista em forma de tábua de esqui, enquanto que o terceiro poderia utilizar um sistema de "catapulta" com métodos eletromagnéticos de lançamento.

O segundo porta-aviões chinês, ainda sem nome oficial e que, diferente do Liaoning, é de fabricação própria, está quase terminado e há rumores de que poderia ser apresentado publicamente em 23 de abril, dia no qual se celebra o aniversário da criação da Marinha nacional.

Por sua vez, o Liaoning foi construído pela União Soviética em 1985 e adquirido pela China da Ucrânia em 1998.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos