Seul acolherá museu sobre violação de direitos humanos na Coreia do Norte

Seul, 14 abr (EFE).- A Coreia do Sul abrirá um museu em sua capital, Seul, cuja missão será conscientizar sobre a violação de direitos humanos na vizinha Coreia do Norte, informou hoje o Ministério de Unificação sul-coreano.

O centro, que será inaugurado em 2019, apresentará através de documentos e fotografias diferentes testemunhos e casos de vulneração de direitos básicos pelo regime dos Kim nas últimas décadas.

Os relatos das experiências vividas por diferentes desertores antes de abandonar o país articularão boa parte da documentação exposta, explicou um porta-voz de Unificação à agência "Yonhap".

O Ministério de Unificação, que atualmente estuda gerenciar diretamente o centro ou fazê-lo através de uma fundação específica, iniciou o projeto por causa de uma lei aprovada em setembro do ano passado.

A norma estabeleceu a criação de uma agência do Governo sul-coreano para investigar e documentar o panorama em matéria de direitos humanos na Coreia do Norte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos