Protestos nos EUA exigem que Trump divulgue declaração do imposto de renda

Washington, 15 abr (EFE).- Milhares de americanos saíram às ruas neste domingo em mais de cem protestos convocados em todo o país para exigir que o presidente Donald Trump que divulgue suas declarações de imposto de renda, como fizeram os antecessores no cargo.

A maior manifestação até agora foi a da capital Washington, que ocupou as ruas entre o Capitólio, sede do Congresso, e o monumento a Lincoln, mas também foram vistas centenas de pessoas nos protestos de Nova Iorque, Los Angeles, Chicago, Seattle e Austin, sem graves incidentes registrados.

O movimento "Marcha dos impostos" convocou mais de cem protestos em cidades de todo o país, que começaram no início desta tarde, coincidindo com o dia em que tradicionalmente termina o prazo para a declaração de impostos nos EUA. Neste ano, porém, a data foi transferida para a próxima terça-feira, dia 18, por ter caído em um sábado e devido a um festival local que Washington celebra na segunda-feira.

Nesta mobilização, como nas que têm ocorrido desde que Trump chegou à Casa Branca, em 20 de janeiro, as propriedades que levam seu nome em todo o país se tornaram parada obrigatória dos protestos.

Entre o Capitólio e a Casa Branca está um dos hotéis de Trump, onde os manifestantes de Washington, que vieram inclusive de outros estados como a Carolina do Norte, pararam para protestar aos gritos de "vergonha, vergonha".

Nos cartazes que erguiam era possível ler mensagens como "impostos para os ricos", "divulgue seus impostos" e "há dinheiro escondido embaixo do topete".

Kevin e Mark, dois jovens que protestaram em Washington neste sábado, explicaram que a manifestação vai além de pedir a Trump que revele seus impostos, porque também pedem um governo transparente em termos gerais.

A congressista democrata Maxine Waters se dirigiu aos manifestantes durante a marcha da capital e criticou que Trump "gaste" os impostos dos contribuintes em suas frequentes escapadas de fim de semana ao luxuoso complexo Mar-a-Lago, em Flórida, que o presidente chama de "Casa Branca de inverno".

Em Nova Iorque, centenas de pessoas se reuniram com cartazes e bonecos similares a Trump no Bryant Park, de onde partiu a marcha para a Trump Tower.

Os ativistas da Flórida convocaram dezenas de protestos no estado. O de maior destaque concentrou 700 pessoas, segundo os organizadores, desde os condomínios Trump Praza de West Palm Beach até a entrada do complexo Mar-a-Lago do presidente, onde está com a família neste fim de semana.

O movimento "Marcha dos impostos" pede "transparência" e denuncia que, "apesar da intensa pressão pública", Trump ainda não divulgou suas declarações de imposto de renda, "rompendo com 40 anos de precedentes", segundo explica o manifesto no site da iniciativa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos