Assessor de Segurança dos EUA visita Afeganistão de surpresa e promete apoio

Cabul, 16 abr (EFE).- O assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos, o tenente-geral Herbert Raymond "H." McMaster, visitou neste domingo de supresa o Afeganistão após o lançamento da denominada "mãe de todas as bombas", para se reunir com o presidente desse país, Ashraf Gani, a quem ratificou o apoio "forte" de seu Governo.

Segundo o comunicado da embaixada americana em Cabul, H.R. McMaster realiza uma visita de dois dias ao Afeganistão, no qual "comprometeu um apoio forte continuado dos Estados Unidos" para esse país.

McMaster conversou com Gani sobre "as prioridades compartilhadas" e a "forte cooperação bilateral", bem como as "dinâmicas regionais e esforços conjuntos para resistir aos grupos terroristas, incluindo a Al Qaeda e o Estado Islâmico (EI)", segundo a mesma fonte.

"Também foi discutido um leque de assuntos bilaterais, incluindo os esforços conjuntos para avançar para um processo de paz, ao desenvolvimento econômico, à promoção do investimento privado e ao comércio regional", acrescentou o comunicado.

McMaster elogiou, além disso, os esforços do Governo afegão nas reformas econômicas, políticas e de segurança, e falou da aceleração desses esforços para fortalecer o desempenho do governo no Afeganistão.

A visita de McMaster é a primeira de um alto cargo da administração de Donald Trump ao Afeganistão e ocorre apenas três dias depois do lançamento de uma bomba GBU-43, uma das de maior poder do arsenal convencional americano, sobre uma base do EI na província oriental afegã de Nangarhar.

McMaster chegou a Cabul para tratar sobre as relações bilaterais, especialmente em Segurança, luta contra o terrorismo, assuntos regionais e desenvolvimento econômico, informou em um comunicado a Presidência afegã.

O Ministério de Defesa do Afeganistão informou hoje que o projétil americano lançado no quinta-feira acabou com a vida de 94 membros de suas forças, entre eles 4 líderes.

O ataque aéreo ocorreu depois que o Governo afegão afirmou nesta mesma semana que o número de insurgentes do EI no país é inferior a 400 e que no ano passado matou cerca de 2,5 mil membros do grupo, o que reduziu sua presença a só duas das 34 províncias afegãs.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos