Dois soldados americanos morrem em combates contra o EI no Afeganistão

Washington, 27 abr (EFE).- Dois soldados americanos morreram na noite de quarta-feira no Afeganistão em combates contra milícias do Estado Islâmico (EI) no leste do país, informou nesta quinta-feira o Pentágono.

As mortes aconteceram durante uma operação na província oriental de Nangahar, onde há duas semanas os Estados Unidos lançaram sua maior bomba não nuclear contra um complexo do EI, matando quase cem combatentes em uma zona que eles consideram a província de Grande Coração em seu autoproclamado califado.

Os americanos, entre os quais também há um ferido, estavam realizando uma operação em apoio às tropas afegãs contra o EI, que também sofreu baixas.

"A luta contra o EI-Coração é importante para o mundo, mas tristemente, não acontece sem que haja sacrifícios", indicou em um comunicado o responsável das tropas americanas no Afeganistão, o general John Nicholson.

O Pentágono não revelou a identidade dos mortos até notificar todos seus familiares, mas confirmou que tratava-se de membros das forças especiais.

No início do mês, outro americano morreu em uma operação militar contra o EI; uma semana depois, a Força Aérea do país lançou a chamada "Mãe de todas as bombas" contra um complexo de túneis do grupo terrorista, acabando com um dos mais importantes locais do grupo no Afeganistão.

O EI se nutre de integrantes de outros grupos extremistas da zona fronteiriça entre Afeganistão e Paquistão e, embora receba fundos desde o exterior, não recebeu um grande fluxo de combatentes estrangeiros, como aconteceu na Síria e Iraque.

Em 2016, o Pentágono estima que matou meio milhão de combatentes do EI no Afeganistão, cerca de 1/4 de toda sua força no país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos