Governo tcheco renuncia por dúvidas sobre patrimônio de autoridade

Praga, 2 mai (EFE).- O primeiro-ministro da República Tcheca, Bohuslav Sobotka, anunciou nesta terça-feira sua renúncia, junto ao governo tripartido, a menos de seis meses das eleições gerais, devido às dúvidas sobre a origem do patrimônio do vice-primeiro-ministro, Andrej Babis.

"Não posso, como presidente do Governo, ser o responsável por um vice-presidente do Executivo com um passado que não está claro", disse Sobotka na coletiva de imprensa na qual anunciou sua renúncia.

Babis, um dos homens mais ricos do país, é também ministro de Finanças e chefe do partido ANO, que faz parte da coligação da qual fazem parte os social-democratas e os democratas-cristãos da KDU.

Sobotka insistiu hoje que seu vice-primeiro-ministro não conseguiu eliminar as suspeitas sobre possíveis irregularidades nas transações financeiras de suas empresas.

Babis é proprietário do consórcio agroindustrial Agrofert, de três jornais, três redes de televisão e duas emissoras de rádio.

Sobotka assegurou que há suspeitas de que o ministro de Finanças sonegou impostos no passado e também que há dúvidas quanto a origem de seu patrimônio.

Por isso, pediu a Babis que esclarecesse essas dúvidas, dando um prazo até abril.

Sobotka assegurou que se ao invés de dissolver o governo tivesse destituído Babis, teria transformado em "mártir" o ministro de Finanças.

As tensas relações dentro do governo tcheco se refletem também na campanha eleitoral para as eleições que o país realizará em 20 e 21 de outubro e para as quais as pesquisas apontam o ANO como o partido com mais intenções de voto, dez pontos à frente dos social-democratas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos