Oposição síria põe condições para retomar negociações no Cazaquistão

Astana, 4 mai (EFE).- A delegação da oposição armada síria condicionou nesta quinta-feira seu retorno para as negociações realizadas em Astana, capital do Cazaquistão, sobre o cessar-fogo na Síria com o objetivo de acabar os bombardeios no país.

"Gostaríamos de voltar hoje para a mesa de conversações. Mas isso depende da cessação dos bombardeios e de que Rússia e Irã adotem uma postura construtiva", disse à agência russa "Interfax", Yahya Al Aridi, delegado do Comitê Supremo de Negociações da oposição síria.

Ele acrescentou que membros da delegação opositora se reuniram hoje com representantes da Jordânia, mas esclareceu que não se retomaram as conversações com os representantes de Rússia, Irã e Turquia, países fiadores do frágil cessar-fogo declarado na Síria no final do ano passado.

"Primeiro, o cessar-fogo, e depois, as negociações políticas", disse Aridi.

O início da plenária das conversações está programado para às 16h (horário local, 7h de Brasília).

O enviado especial da ONU para Síria, Staffan de Mistura, manifestou a esperança de que a oposição armada, que suspendeu ontem sua participação nas consultas, retome as negociações.

"Eu vou esperar para ver o que eles dizem. Espero que voltem, pois é importante pensar na possibilidade de diminuir a tensão", disse Staffan de Mistura, ontem, os jornalistas na conclusão do primeiro dia da quarta rodada de negociações na capital cazaque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos