Israel aprova proposta para eliminar árabe como língua oficial

Jerusalém, 7 mai (EFE).- O governo de Israel deu sinal verde neste domingo a uma emenda na lei do estado-nação para eliminar o árabe como língua oficial e conceder a ele um "status especial" dentro do país, proposta que agora será submetida a votação no Parlamento.

O Comitê de Legislação Ministerial defendeu durante sua reunião manter o hebraico como idioma oficial e que Israel é "o Estado-nação do povo judeu", para o que é "exclusivo" o direito à autodeterminação neste território, informou o jornal "Haaretz".

A proposta, que tem sido considerada há anos, tem que ser revisada pelos deputados no Parlamento (Knesset). Esse é o resultado de um debate criado precisamente para dar caráter de lei à ideia de que Israel é o Estado-nação do povo judeu, uma noção que conta com o apoio do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, e que foi amplamente debatida no passado.

O promotor deste projeto, Avi Ditcher, deputado do partido encabeçado por Netayahu, parabenizou por este "grande passo para estabelecer identidade".

Os árabes-israelenses no país, a maioria palestina com nacionalidade israelense, compõem uma minoria próxima a 20% da população que em diversas ocasiões denunciou ser discriminada por instituições oficiais.

O novo projeto de lei diz que aqueles que falam árabe "têm direito a serviços estatais com idioma acessível" e estabelece que "cada morador de Israel, sem distinção de religião ou origem, tem direito a trabalhar para preservar sua cultura, herança, linguagem e identidade".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos