Fé em forma de souvenir para a economia portuguesa

Carlos García.

Guarda (Portugal), 9 mai (EFE). - A visita do papa Francisco ao Santuário de Fátima por ocasião do centenário das aparições de Nossa Senhora se tornou um grande negócio para muitas empresas portuguesas que elaboraram vários tipos de artigos com a marca do evento, entre elas o Rosário do Centenário.

Domingos Oliveira das Neves, presidente da Associação de Empresários de Ourem (Aciso), município que pertence à Fátima, contou à Agência Efe que "já foram vendidos em todo o mundo 200 mil rosários elaborados especialmente para a comemoração do centenário".

Estes objetos deram forte incentivo a economia da comarca, onde existem cinco fábricas que se dedicam exclusivamente à elaboração de imagens, rosários, cruzes e medalhas, entre outros muitas lembrancinhas religiosas. Segundo ele, por causa da visita papal, as importações deste tipo de material religioso da China e da Itália, que depois eram vendidos nas imediações do Santuário, diminuíram.

Rosário do Centenário tem uma simbologia especial para os devotos, ele faz alusão ao terço de contas brancas que a Virgem tinha nas mãos durante as aparições. Com ele, ela fez três revelações aos três Pastorinhos, conhecidos como "Os três segredos de Fátima".

Então, para além dos 200 mil já vendidos, a expectativa é de que pelo menos outros 100 mil sejam adquiridos pelos fiéis ao longo do ano.

De acordo com o presidente da Aciso, a produção das cinco fábricas da região subiu 40% nos últimos 12 meses.

As contas dos terços são desenvolvidas em uma oficina de vidro da Marinha Grande, cidade da província de Leiria, perto de Fátima. Depois, são empresas de Fátima que se encarregam de unir as pedrinhas e concluir a confecção do rosário certificado pela Casa da Moeda de Portugal com um selo de autenticidade e que vai junto com um folheto explicativo em sete idiomas.

O Rosário do Centenário também tem um componente solidário: um euro (cerca de R$ 3,50) de cada exemplar vendido será destinado à construção de uma residência em Fátima para adultos com necessidades especiais e cujas famílias não tenham condições financeiras para mantê-los.

Aproveitando a movimentação turística e da mídia pelos 100 anos das revelações de Nossa Senhora e pela visita do papa Francisco, a iniciativa empresarial se multiplicou em todos os âmbitos, não só no comercial. Os empregos na região subiram 30%, em média, nos últimos meses, já que são esperam 8 milhões de pessoas ao longo de 2017. A taxa de ocupação dos hotéis também viu fortes altas, ao passar de 38% de ocupação média nos últimos anos para 49%, segundo Neves.

O mesmo acontece com a evolução no número de pernoites. Em 2015, foram 600 mil e no ano passado esse total chegou a 800 mil. A expectativa é de que neste ano ultrapasse o 1 milhão.

Na comarca de Fátima estão registradas 74 unidades hoteleiras, 12 delas de quatro estrelas, sendo que algumas foram construídas justamente para o Centenário e para a chegada do pontífice, que aterrissa em terras portuguesas na próxima sexta-feira. Apesar dos preços terem disparado, todos ostentaram cartazes de "lotado" durante o mês de abril, o que também acontece em maio, e muitos dias de julho, agosto e outubro já estão sem vagas.

Segundo o presidente da ACISO, 14% do turismo de Portugal é religioso, que se tornou um grande ativo para a economia do país. EFE

cgg/cdr/id

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos