Monge indiano sequestrado no Iêmen aparece em vídeo um ano depois

Saná, 9 mai (EFE).- Um sacerdote indiano sequestrado há mais de um ano por homens armados desconhecidos na cidade iemenita de Áden, no sul do país, apareceu nesta terça-feira em um vídeo pedindo a ajuda do Governo da Índia para ser libertado.

O vídeo, publicado pelo site de notícias locais "Aden Engane", mostra Tom Uzhunnalil com uma comprida barba branca, a expressão extenuada e muito magro, que fala com dificuldade e lentidão diante da câmera.

"Meu estado de saúde está se deteriorando e necessito ser hospitalizado o mais rápido possível", diz o monge, enquanto no seu colo é exposto um cartaz escrito à mão que indica a data de 15 de abril de 2017.

"Estão me tratando bem, dentro de suas possibilidades", declara o monge em alusão a seus sequestradores, cuja identidade é desconhecida.

"Eles entraram em contato com as autoridades indianas várias vezes, vi as mensagens e a resposta é muito muito pobre", explica o religioso.

"Também entraram em contato com o bispo de Abu Dabi (nos Emirados Árabes Unidos) e sua resposta não é muito esperançosa", acrescenta.

"Nem o bispo e nem o Governo indiano perguntaram o que querem para me colocar em liberdade", denuncia o monge, visivelmente fatigado.

"Estou triste por isso", diz, enquanto se dirige à sua família suplicando que façam "tudo o que puderem" para que seja libertado.

Além disso, o monge assegura que recebeu as mensagens enviada por seus parentes e agradeceu pelo apoio. "Que deus vos abençoe".

O religioso foi sequestrado durante um assalto a um asilo de Áden, durante o qual foram assassinadas quatro monjas da congregação Missionária da Caridade e outras 12 pessoas, entre idosos e empregados do centro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos