Rússia espera que destituição de chefe do FBI não afete vínculos com EUA

Moscou, 10 mai (EFE).- O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, afirmou nesta quarta-feira que a Rússia espera que a destituição do diretor do FBI, a polícia federal investigativa dos Estados Unidos, James Comey, não afete as relações bilaterais entre Moscou e Washington.

"Acreditamos que isto (a destituição de Comey) não terá qualquer influência (nas relações bilaterais)", disse Peskov aos meios de comunicação ao responder a uma pergunta sobre a demissão ontem do diretor do FBI.

O porta-voz do governo russo acrescentou que trata-se de uma "decisão soberana do presidente dos Estados Unidos (Donald Trump), que não tem, nem deve ter, qualquer relação com a Rússia".

Peskov fez essas declarações poucas horas antes de Trump receber em Washington o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Serguei Lavrov.

Trump destituiu Comey ontem por recomendação do vice-procurador-geral, Rod Rosenstein, e do procurador-geral, Jeff Sessions, segundo a Casa Branca.

O presidente enviou uma carta a Comey, que foi difundida por vários meios de comunicação americanos, na qual informou sua demissão "com efeito imediato".

"Apesar de ter um enorme apreço pelo fato de o senhor ter me informado em três ocasiões distintas que não estou sendo investigado, mesmo assim, estou de acordo com a conclusão do Departamento de Justiça de que o senhor não é capaz de liderar eficazmente" o FBI, escreveu Trump na carta, em aparente alusão à investigação da polícia federal americana sobre os vínculos entre a campanha eleitoral do governante republicano e a Rússia.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos