Cidadão saudita acusado de violentar várias crianças é executado

Riad, 11 mai (EFE).- As autoridades de Arábia Saudita executaram nesta quinta-feira um cidadão saudita julgado culpado de sequestrar e violentar vários menores, anunciou um comunicado oficial.

O condenado, Mohamed bin Yamaan, reconheceu ter raptado "menores de maneira continuada e durante vários dias", segundo a sentença, detalhando que ele "sequestrou duas meninas e vários meninos, os estuprou e os abandonou longe de suas casas".

A nota explicou que Yamaan drogava suas vítimas e feriu duas delas.

O tribunal considerou que o homem merecia a pena capital porque suas ações "representam uma ameaça para a segurança pública", e porque ele tinha "a criminalidade arraigada dentro de si, aterrorizando os meninos e seus pais".

A maioria das execuções na Arábia Saudita acontecem por decapitação com um sabre, em aplicação de uma interpretação estrita da lei islâmica ou "sharia", que castiga com a pena de morte os culpados de assassinato, narcotráfico, feitiçaria e outros delitos.

As organizações de direitos humanos denunciaram que desde a chegada do rei Salman bin Abdelaziz ao trono saudita, em janeiro de 2015, o número de execuções dispararam, de 88 em 2014 para 158 em 2015 e 153 em 2016.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos