Fujimori é hospitalizado por causa de uma taquicardia

Lima, 11 mai (EFE).- O ex-presidente peruano Alberto Fujimori, que cumpre pena de prisão, foi levado nesta quinta-feira para uma clínica de Lima após sofrer uma taquicardia, enquanto o atual presidente, Pedro Pablo Kuczynski, reiterou que não avalia atualmente seu indulto, exigido pelos porta-vozes do partido fujimorista Fuerza Popular.

O ex-congressista fujimorista da Fuerza Popular, Alejandro Aguinaga, médico pessoal de Fujimori, contou ao jornal "El Comércio" que o ex-presidente sentiu por volta das 5h (horário local, 7h em Brasília) que "tinha o coração muito acelerado", pelo que deduziu que "estava sofrendo de uma taquicardia".

Aguinaga considerou que a saúde de Fujimori, de 78 anos, foi alterada com o debate na opinião pública em torno de seu eventual indulto, um benefício extraordinário que somente o atual presidente pode outorgar.

"Ontem o visitei e tentei falar com ele sobre temas alheios à política, mas recebe também outras pessoas que comentam de tudo com ele", acrescentou Aguinaga, cujo paciente cumpre condenação de 25 anos de prisão por violações dos direitos humanos e corrupção.

O episódio de taquicardia aconteceu um dia depois que a Comissão de Justiça e Direitos Humanos do Congresso de Peru, onde Fuerza Popular tem maioria absoluta, arquivou na mesma terça-feira um projeto de lei que propunha prisão domiciliar para presos com mais de 75 anos.

Fujimori foi internado na Clínica Centenário Peruano Japonesa, um dos centros médicos para onde é levado periodicamente para se tratar de algumas doenças crônicas que sofre, como hérnia, hipertensão, gastrite e lesões na língua, conhecidas como leucoplasia, das quais já foi operado seis vezes.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos