Governo dos EUA anunciará "em breve" diretor provisório para o FBI

Washington, 11 mai (EFE).- O governo dos Estados Unidos anunciará "em breve" o nome da pessoa que substituirá provisoriamente o agora ex-diretor do FBI (polícia federal americana) James Comey, demitido por surpresa na noite de terça-feira.

Um alto funcionário do Departamento de Justiça, que pediu o anonimato, disse à Agência Efe que o esperado anúncio ocorrerá "em breve", mas rejeitou dar um prazo estimado.

O cargo de Comey se encontra ocupado atualmente por seu antigo "número dois", Andrew McCabe, que nesta quinta-feira discursou no Comitê de Inteligência do Senado, encarregado de investigar a suposta ingerência russa nas eleições e se houve coordenação com a campanha do presidente, Donald Trump.

Diante do comitê, McCabe se comprometeu a não informar a Casa Branca sobre o andamento da investigação e assegurou que "até o momento" o governo não tentou interromper as pesquisas, mas se comprometeu a informar os congressistas caso ocorra alguma ingerência.

O nome de McCabe é ventilado entre os candidatos a ocupar o posto de diretor do FBI de forma provisória, mas suas declarações de hoje e sua proximidade com o ex-diretor do FBI o tornam um candidato incômodo para o governo, motivo pelo qual muitos analistas apostam em outros nomes.

O próprio procurador-geral, Jeff Sessions, e seu "número dois", Rod Rosenstein, entrevistaram ontem Adam Lee, um agente do FBI encarregado do escritório de Richmond (Virgínia) e Michael Anderson, também do FBI e à frente das dependências da agência em Chicago (Illinois).

Também se reuniram com Paul Abbate, um dos encarregados de investigar crimes virtuais dentro do FBI, e William Evanina, a cargo das operações de inteligência da agência para identificar e lutar contra as ameaças de terroristas e governo estrangeiros.

Depois de cobrir a necessidade imediata de designar uma pessoa para dirigir o FBI, a Casa Branca nomeará uma substituição permanente para Comey.

A pessoa designada como diretor do FBI deverá passar pela sabatina do Senado e alcançar uma maioria simples de aprovação para ser confirmada no cargo, uma tarefa complicada porque os legisladores democratas e alguns republicanos desconfiam dos verdadeiros motivos pelos quais Comey foi demitido.

O motivo oficial da demissão de Comey é a má gestão feita na investigação sobre o uso do e-mail pessoal de Hillary Clinton para comunicações oficiais quando era secretária de Estado, entre 2009 e 2013.

No entanto, a destituição de Comey provocou uma tormenta política no país, dado que ele era o encarregado de liderar a investigação sobre a suposta interferência de Moscou nas eleições americanas do ano passado e a relação entre funcionários russos e integrantes da campanha eleitoral de Trump.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos