Justiça francesa abre investigação por onda de ciberataques

Paris, 13 mai (EFE).- A Justiça da França abriu uma investigação pelos ciberataques a sistemas de computadores que foram constatados no país, e que afetaram em particular a Renault, que decidiu suspender as atividades em algumas unidades de montagem de veículos.

Fontes da Justiça francesa disseram neste sábado à Agência Efe que a Procuradoria de Paris formalizou ontem o início dessa investigação por crimes de invasão em sistemas de tratamento automatizado de dados, impor obstáculos ao seu funcionamento, extorsão e tentativa de extorsão.

As investigação estão a cargo do OCLCTIC, o serviço de polícia especializado na luta contra o crime envolvendo tecnologias da informação e da comunicação.

Na França, a principal vítima conhecida dos ciberataques é a fabricante automobilística Renault. Sua direção explicou que iniciou uma resposta ontem e que estava fazendo o necessário para lidar com o problema.

A montadora também reconheceu que a invasão em seus sistemas de computadores causou impacto na atividade de algumas unidades de montagem da companhia. Fontes sindicais indicaram, em particular, a situação na unidade de Sandouville, na Normandia, no noroeste do país.

O delegado do sindicato Força Operária (FO) em Sandouville, Fabien Gloaguen, explicou em declarações à emissora "BFMTV" que o trabalho nesta fábrica especializada na montagem de furgões (em particular o Renault Trafic) teve que ser interrompido desde a última madrugada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos