EUA oferecem suas "experiências e sucessos" em fórum das Novas Rotas da Seda

Pequim, 14 mai (EFE).- Os Estados Unidos oferecerão suas "experiências e sucessos" a todos os países que participam do Fórum de Cooperação das Novas Rotas da Seda, afirmou neste domingo o líder da delegação americana, Matthew Pottinger, neste evento que começou hoje em Pequim, na China, e ao qual os EUA se incorporaram de última hora.

Pottinger, assessor especial do presidente americano, Donald Trump, e diretor para a Ásia do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, explicou que seu país pode "oferecer todo tipo de serviços e produtos com boa relação qualidade-preço" a esses países.

Segundo o representante americano explicou em uma reunião sobre infraestrutura no fórum, os EUA "desejam promover o desenvolvimento sustentável e melhorar a conectividade" em nível mundial.

A respeito das Novas Rotas da Seda, Pottinger pediu aos organizadores que mantenham a "transparência" nas licitações para "permitir que empresas privadas participem das mesmas" e para "atrair os investidores".

Além disso, Pottinger lembrou a importância da alta "qualidade" em matéria de construção e manutenção para satisfazer as demandas em infraestrutura no projeto impulsionado pelo presidente chinês, Xi Jinping.

O líder da delegação americana reiterou que o "caráter inclusivo dos projetos permitirá uma participação o mais ampla possível de todo o mundo", mas ressaltou que é preciso fomentar a "construção institucional" nos países que necessitarem de novas infraestruturas.

Para Pottinger, dessa maneira será possível "resolver os conflitos de forma equitativa e aumentar a atração de investidores para esses projetos".

Antes da realização do fórum, especulou-se que o governo americano não compareceria, depois que o então candidato presidencial Donald Trump acusou a China - que promove o projeto das Novas Rotas da Seda - de manipulação monetária durante sua campanha.

No entanto, após a eleição de Trump e, especialmente, após a reunião entre ele e Xi em um resort na Flórida, parece que as relações entre os dois países estão voltando paulatinamente à normalidade, dando frutos como o plano de ação de 100 dias para promover o comércio bilateral.

Chefes de Estado e de governo de 29 países se reúnem hoje e amanhã na capital chinesa para fomentar a conectividade e o comércio entre Ásia, Europa e América Latina, através de novas infraestruturas.

Na reunião de conectividade em infraestruturas participam representantes de 59 países, assim como 35 empresas chinesas e dezenas de companhias internacionais.

O presidente da China, Xi Jinping, anunciou em seu discurso de abertura do fórum que seu governo injetará quase US$ 70 bilhões (US$ 14,5 bilhões do governo e US$ 55 bilhões em empréstimos de dois bancos nacionais) para o projeto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos