Putin denuncia crise global de modelo de conforto e auge do protecionismo

Pequim, 14 mai (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, denunciou neste domingo a existência de uma crise do tradicional modelo de crescimento e do Estado de conforto, advertindo sobre o auge do protecionismo em detrimento do antigo modelo de globalização.

"Muitos países estão sendo testemunhas de uma crise do Estado de conforto, o qual é incapaz de assegurar sua própria sustentabilidade", afirmou Putin durante seu discurso no plenário de abertura do Fórum da Nova Rota da Seda, que começou hoje em Pequim.

"O desequilibrio do desenvolvimento econômico e social, bem como a crise do antigo modelo de globalização resultaram em consequências negativas para as relações entre os estados bem como para a segurança, a pobreza e o cuidado social", acrescentou Putin.

Em discurso de pouco menos de 15 minutos, Putin destacou que o protecionismo se converteu na "norma "e defendeu seu combate, deixando para trás os "estereótipos" e com idéias "frescas e novas".

Também expressou seu desejo de cooperar com a União Europeia e outras instituições do continente para reverter a tendência atual e "chegar à construção de uma cooperação única do Atlântico até o Pacífico".

Putin afirmou que existe uma "brecha colossal" a nível de desenvolvimento entre muitos países e regiões, o que facilita o avanço de fenômenos como "o terrorismo internacional, o extremismo e as migrações irregulares".

Também elogiou o trabalho de seu colega chinês, Xi Jinping, com quem mantém estreitos laços bilaterais, como motivador da Nova Rota da Seda, uma iniciativa que qualificou de "promissora" e com a qual convidou os presentes a este fórum a "voltar ao trabalho em comum". EFE

lpa/ma

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos