Renault também paralisou fábricas fora da França por ciberataques

Paris, 14 mai (EFE).- O grupo automobilístico Renault suspendeu a atividade, totalmente ou parcialmente, em várias de suas fábricas na França, mas também em outros países, para impedir a propagação do vírus que afetou seus sistemas durante o ciberataque de sexta-feira passada.

Uma porta-voz do fabricante francês explicou à Agência Efe que "há certas fábricas que tiveram que suspender parcialmente ou totalmente a atividade "não somente em França".

A porta-voz, que não quis citar nomes e em quais países as fábricas foram afetadas, insistiu que a "grande maioria" deve voltar à normalidade "amanhã".

A fonte também insistiu que "as medidas são para que os vírus não se propaguem".

A porta-voz disse não poder quantificar o número de computadores infectados e nem a magnitude do problema, uma questão que ficará para mais adiante. "A prioridade é fazer o diagnóstico".

Segundo funcionários e representantes sindicais da fábrica da Renault na cidade francesa de Douai, perto da fronteira belga, suas linhas de montagem não funcionarão amanhã devido aos ciberataques.

A Renault é a única grande empresa ou instituição francesa que reconheceu ter sido vítima desta onda de ciberataques se estendeu por todo o mundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos