Comissão eleitoral rejeita candidato ex-comunista à presidência na Mongólia

Pequim, 15 mai (EFE).- A Comissão Eleitoral para as eleições presidenciais que a Mongólia vai realizar no dia 26 de junho decidiu rejeitar um dos três candidatos, Nambaryn Enkhbayar, do Partido Popular Revolucionário da Mongólia (ex-comunista), informou nesta segunda-feira a agência oficial "Montsame".

A candidatura de Enkhbayar, que já foi presidente do país entre 2005 e 2009, não foi aceita pela comissão por ele não ter residido no país o tempo suficiente nos últimos anos e por não ter cumprido o período de prisão ao qual foi condenado em 2012 por corrupção (embora já tenha sido indultado).

A lei eleitoral da Mongólia estabelece que um candidato a presidente deve ter residido no país pelo menos durante os cinco anos anteriores às eleições, mas Enkhbayar deixou a Mongólia entre agosto de 2013 e outubro de 2014.

A decisão foi tomada em uma reunião da comissão eleitoral na qual foram aceitos os candidatos do governante Partido Popular da Mongólia (social democrata) e do Partido Democrático (conservador), principais favoritos nas eleições do próximo mês.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos