Putin considera mísseis da Coreia do Norte "inadmissíveis", mas pede diálogo

Pequim, 15 mai (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse considerar "inadmissíveis" os lançamentos de mísseis e testes nucleares da Coreia do Norte, mas opinou que é preciso parar de "intimidar" o regime de Kim Jong-un.

"Quero ressaltar que somos absolutamente contra a ampliação do grupo nuclear, entre outros com a Coreia do Norte", disse Putin em entrevista coletiva na capital chinesa, onde participou no Fórum das Novas Rotas da Seda.

De acordo com o governante russo, os testes nucleares de Pyongyang são "inadmissíveis", mas ressaltou que "é preciso voltar ao diálogo" com a Coreia do Norte, "deixar de intimidá-la e encontrar meios para a solução pacífica desses problemas".

"No que se refere a este lançamento, imediatamente depois que foi efetuado o ministro de Defesa (Serguei Choigu) me informou. Não representou perigo algum para nós", disse o chefe do Kremlin.

A Coreia do Norte confirmou nesta segunda-feira o lançamento feito com sucesso no domingo de um novo tipo de míssil de médio a longo alcance batizado como Hwasong 12, capaz de carregar uma ogiva nuclear "de grande tamanho", segundo informou a agência estatal norte-coreana "KCNA".

O governo dos Estados Unidos advertiu a Coreia do Norte no gomingo que seu recente teste de míssil não é o caminho para um possível diálogo.

A Casa Branca emitiu um comunicado no qual expressou que esta última "provocação" do regime de Kim Jong-un deve servir de "chamado a todas as nações para implementarem sanções muito mais fortes".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos