Putin diz que "fonte primária de vírus é o serviço secreto dos EUA"

Pequim, 15 mai (EFE).- O presidente da Rússia, Vladimir Putin, assegurou nesta segunda-feira que a Rússia não tem nada a ver com o ciberataque global que já afetou mais 200 mil computadores em pelo menos 150 países, e acusou o serviço secreto dos Estados Unidos de ser "a fonte primária do vírus".

"Acredito que a direção da Microsoft indicou o serviço secreto americano como a fonte primária do vírus. A Rússia não tem nada a ver com isso", disse Putin em entrevista coletiva em Pequim, onde participou do Fórum de Cooperação das Novas Rotas da Seda.

As instituições públicas russas "não sofreram danos importantes, nem os bancos, nem o sistema de saúde, nem outros, mas, em geral, não há nada de bom nisto e é preocupante", ponderou o chefe do Kremlin em alusão aos efeitos do ciberataque.

O presidente da Microsoft, Brad Smith, advertiu ontem que a compilação de vulnerabilidades cibernéticas por parte dos governos se converteu em um padrão emergente que causa danos generalizados quando estas informações são vazadas.

"Vimos aparecer no WikiLeaks vulnerabilidades armazenadas pela CIA, e agora esta vulnerabilidade roubada da NSA (Agência Nacional de Segurança dos EUA) afetou clientes em todo o mundo", criticou Smith, ao se pronunciar sobre a origem do erro no Windows do qual o software maligno WannaCry se aproveita.

O 'ransomware' WannaCry, que exige um pagamento na moeda digital 'bitcoin' para que o acesso aos computadores seja recuperado, infectou os sistemas de centros de saúde no Reino Unido, de grandes empresas em França e Espanha, da rede ferroviária na Alemanha, de órgãos públicos na Rússia e de universidades na China, entre outros. EFE

pk-aep/rpr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos