STF autoriza abertura de inquérito contra Temer

São Paulo, 18 mai (EFE).- O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou nesta quinta-feira a abertura de um inquérito contra o presidente Michel Temer, alvo de uma denúncia de tentativa de compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha, atualmente preso por corrupção.

Segundo o jornal "O Globo", o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo, deu sinal verde ao pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), e com isso Temer passou a ser formalmente investigado na operação que apura o maior escândalo de corrupção e lavagem de dinheiro da história do país.

O aval para processar Temer veio depois que o jornal "O Globo" noticiou a existência de uma gravação na qual Temer supostamente assegurava a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha.

De acordo com a Constituição, um presidente somente pode ser investigado pelos atos cometidos durante o exercício de seu mandato e a suposta obstrução à justiça, segundo "O Globo", teria acontecido em março passado.

Temer está no poder desde maio de 2016 e de forma efetiva desde o dia 31 de agosto, quando Dilma Roussef foi destituída pelo Congresso após um julgamento político.

"O encontro com o empresário Joesley Batista aconteceu no começo de março, no Palácio de Jaburu, mas não houve no diálogo nada que comprometesse a conduta do presidente da República", disse em nota o Governo.

Temer disse que "defende a ampla e profunda investigação para apressar todas as denúncias publicadas pela imprensa" que responsabilize os "eventuais envolvidos em qualquer ilícito que seja comprovado".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos