Ativistas protestam em Los Angeles por violência de policiais contra latinos

Los Angeles (EUA), 20 mai (EFE).- Grupos de ativistas protestaram neste sábado em frente a um dos prédios do Departamento de Polícia de Los Angeles (LAPD), no bairro de Boyle Heights, pela "política de assédio" dos agentes contra os latinos, que, segundo eles, já provocou a morte de seis pessoas em pouco mais de 12 meses.

"Seis mortos na nossa vizinhança em 12 meses. Para nós, é um massacre", disse à Agência Efe a porta-voz do grupo Comunidade, Serviço e Organização de Boyle Heights, Marisol Márquez.

"Em nível nacional, o foco é que a vida dos afro-americanos importam, mas os assassinatos cometidos pela polícia contra nossa gente latina são mais frequentes e queremos que eles parem com isso", completou a porta-voz da organização.

Ativistas e familiares de jovens mortos por agentes se reuniram em frente à sede da LAPD para expressar o descontentamento com a "política de lei marcial". Boyle Heights tem cerca de 100 mil habitantes, sendo 94% deles latinos.

"Em Boyle Heights, se a polícia encontra um jovem na rua após as 21h o detêm para interrogá-lo. Mas isso não ocorre nos bairros ricos do oeste (da cidade)", criticou Márquez.

"Temos medo da polícia em Boyle Heights", disse à Efe Juan Méndez, pai de um jovem que recebeu 19 tiros de agentes.

Os policiais que participaram da ação que terminou com a morte do filho de Méndez argumentaram que atiraram porque o jovem conduzia um carro roubado, não obedeceu a ordem de parar e ainda tinha uma arma.

"Tinha nove filhos, hoje me restam oito. Os que têm menos de 21 anos não saem nem para comprar leite à noite. Tenho que aconselhá-los a andar devagar, porque sabemos que os policiais pensam o pior dos latinos e podem atirar", disse Méndez.

Méndez, que abriu um processo contra a LAPD, contou que o clima de medo na comunidade é duplo. "Tememos que os policiais matem nossos filhos nas ruas, e os sem documentos têm pânico de serem deportados pelos agentes da imigração", afirmou.

Outro porta-voz do grupo Comunidade, Serviço e Organização de Boyle Heights, Carlos Montes, disse à Efe que há racismo em Los Angeles contra os latinos, que são presos pelo crime de serem pobres.

"Eu acredito que os policiais precisam receber outro tipo de treinamento. Se os jovens erram, que sejam detidos e levados à prisão, mas não os matem", exigiu.

A Efe entrou em contato com a assessoria de imprensa da LAPD, mas o órgão não quis comentar o protesto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos