FBI identifica funcionário próximo de Trump que teria ligações com Rússia

Washington, 20 mai (EFE).- O FBI identificou um funcionário da Casa Branca próximo ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como "pessoa de interesse" na investigação sobre a Rússia, informou na sexta-feira o jornal "The Washington Post".

O jornal, que entrevistou "fontes familiarizadas" com a investigação, não revelou a identidade da pessoa em questão.

No entanto, essas fontes detalharam que a investigação do FBI segue centrada nas pessoas que tiveram influência durante a campanha presidencial, apesar de agora também estar investigando o funcionário da Casa Branca.

Um dos principais investigados segue sendo Michael Flynn, assessor de segurança nacional da Casa Branca durante as primeiras semanas da era Trump, forçado a pedir demissão por mentir sobre os seus contatos com o embaixador russo em Washington.

O Comitê de Inteligência do Senado, que também investiga as possíveis ligações da campanha de Trump com a Rússia, pediu para Flynn comparecer ao órgão, mas ele se negou a colaborar com a investigação.

Também ontem, a "CNN" informou que autoridades russas alardearam em conversas interceptadas que tinham cultivado uma forte relação com Flynn e que, através dele, a Rússia poderia ter influência sobre Trump e a Casa Branca.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos