Hamas condena discurso de Trump que tacha grupo como organização terrorista

Gaza, 21 mai (EFE).- O movimento islamita Hamas, que controla a Faixa de Gaza, afirmou neste domingo que condena as declarações do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que classificou o grupo como uma organização terrorista.

"O Hamas é um movimento de liberdade que defende de maneira legal os direitos do povo palestino", afirmou em comunicado o porta-voz do Hamas, Fawzi Barhum, após o discurso de Trump em Riad, na Arábia Saudita, durante uma cúpula com líderes de 55 países muçulmanos.

Durante o encontro na capital saudita, Trump pediu aos líderes muçulmanos uma aliança para lutar contra o extremismo islâmico. Além disso, pediu que os extremistas sejam expulsos da região e acusou o Irã de tentar desestabilizar o Oriente Médio.

Amanhã, Trump chega a Jerusalém para uma breve visita oficial a Israel e Palestina, dentro de sua primeira viagem internacional no cargo. "Terrorista é a ocupação israelense, que mata nossa gente e é apoiada pelos americanos", denunciou o porta-voz do Hamas.

O Hamas, considerado por Israel, EUA e outros países como organização terrorista, venceu as últimas eleições parlamentares realizadas nos territórios palestinos em janeiro de 2006, mas se negou a aceitar os pedidos internacionais de reconhecer a existência de Israel, dos acordos de paz ou em condenar a violência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos