Trump: Segurança no Oriente Médio inclui paz entre israelenses e palestinos

Jerusalém, 22 mai (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira, durante um pronunciamento conjunto com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, que uma garantia de segurança no Oriente Médio passa pela paz entre israelenses e palestinos.

"É possível um novo nível de colaboração, com maior segurança para a região e para os EUA, e inclui um esforço renovado de paz entre israelenses e palestinos", declarou Trump em Jerusalém.

O presidente americano disse apostar em um trabalho conjunto com Israel e no reforço da relação entre os dois países. "Somos mais que amigos, somos aliados", declarou.

Ao falar sobre a importância da região, Trump citou os encontros com líderes árabes e muçulmanos que teve nos últimos dias na Arábia Saudita, primeira parada de sua primeira viagem internacional como presidente.

"Me reuni com muitos líderes do mundo árabe e muçulmano, incluindo o rei (saudita) Salman (bin Abdulaziz), que realmente quer ver grandes coisas acontecendo com o mundo", contou.

Netanyahu também se referiu a alianças com países da região. "Os perigos comuns estão transformando antigos inimigos em aliados", disse, em referência ao Irã, uma situação que classificou como "potencialmente muito promissora".

"Não será simples, mas pela primeira vez em muitos anos, e pela primeira vez na minha vida, vejo uma verdadeira esperança de mudança", acrescentou Netanyahu.

O premiê israelense agradeceu a guinada na direção da política americana no Oriente Médio, e concretamente em relação ao Irã e para a Síria, onde interveio diretamente após o ataque químico ocorrido em abril.

"Quero que saiba o quanto apreciamos a mudança na política americana sobre o Irã", a decisão "valente" de atacar a Síria e "a reafirmação da liderança americana no Oriente Médio", afirmou Netanyahu.

O premiê também fez referência ao fato de que Trump tenha se tornado o primeiro presidente americano no exercício do cargo a visitar o Muro das Lamentaçâos, na Cidade Velha de Jerusalém, no que a comunidade internacional considera território palestino ocupado.

"Sei que foi ao Muro Ocidental (Muro das Lamentaçâos) e tocou as pedras da nossa existência, e é o primeiro presidente americano que o faz, e tenho que expressar o nosso agradecimento. Não só por isso, mas também pela sua amizade com o Estado de Israel, a sua compreensão da nossa história, a nossa luta e o nosso desejo de paz" declarou.

"O Muro Ocidental, foi incrível estar lá. Como sabem, sou um grande apoiador de Israel há faz muito tempo. Mas é um lugar magnífico, com gente magnífica (...) estou honrado de estar aqui", disse Trump, por sua vez.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos