Merkel elogia entrada da Otan em coalizão contra EI e nega maior contribuição

Bruxelas, 25 mai (EFE).- A chanceler alemã, Angela Merkel, considerou que a decisão da Otan de se integrar "formalmente" na coalizão internacional contra o Estado Islâmico é "um sinal forte", mas disse que isso não significa que vá haver novas contribuições por parte da Alemanha a essa luta.

Em declarações aos meios antes de começar a reunião dos chefes de Estado e de Governo da Aliança, Merkel, que tinha questionado a necessidade da Otan entrar nessa coalizão, respaldou esse passo agora que todos os parceiros contribuem para ela.

Essa entrada, especificou, "não está unida a nenhuma nova contribuição por parte da Alemanha", que participa dessa aliança com aviões de abastecimento em voo e Tornado para operações de reconhecimento.

Na reunião da Otan, os aliados também ratificarão o compromisso adquirido na Cúpula de Gales, de setembro de 2014, de dedicar à Defesa 2% do PIB, "nem mais e nem menos", precisou Merkel.

Além disso, Merkel mostrou satisfação pelo fato de que todos os aliados vejam a Otan como "pilar central de nossa segurança comum" e destacou a contribuição alemã, que participa de patrulhas de vigilância aérea no Báltico, na missão do Afeganistão e na luta contra o Estado Islâmico.

Os chefes de Estado e de Governo dos países membros inaugurarão o novo quartel geral da Aliança, onde foi colocado um pedaço do muro de Berlim para lembrar que "também com a ajuda da Otan conseguimos superar essa guerra fria e alcançar a liberdade e democracia", acrescentou Merkel.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos