Presidente diz que morte de Noriega "fecha capítulo da nossa história"

Panamá, 30 mai (EFE).- O presidente do Panamá, Juan Carlos Varela, disse nesta terça-feira que a morte do ex-ditador Manuel Antonio Noriega "fecha um capítulo da história" do país da América Central.

"A morte de Manuel A. Noriega fecha um capítulo da nossa história; as suas filhas e seus familiares merecem um sepultamento em paz", disse Varela, em uma mensagem na sua conta do Twitter.

Noriega morreu ontem, aos 83 anos, no Hospital Santo Tomás, na Cidade do Panamá, informação confirmada hoje à Agência Efe pelo seu advogado, Ezra Ángel.

"Confirmado", respondeu laconicamente, o advogado de Noriega, que permanecia internado em uma unidade de terapia intensiva (UTI), em estado grave, desde o dia 7 de março, quando lhe foi removido um tumor cerebral benigno.

O antigo "homem forte" do Panamá, que governou o país entre os anos de 1983 e 1989, quando foi derrubado por uma invasão dos Estados Unidos, morreu por volta das 23h (horário local, 1h de Brasília, nesta terça-feira), segundo os dados divulgados pela impressa local.

Noriega foi extraditado para o Panamá no dia 11 de dezembro de 2011, após cumprir mais de 20 anos de prisão nos EUA e na França por tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Ele cumpria mais de 60 anos de pena na prisão El Renacer, nos arredores da capital panamenha, até o dia 28 de janeiro deste ano, quando a Justiça lhe concedeu prisão domiciliar temporária para que fizesse o pré e o pós-operatório fora da prisão.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos