Presidente do governo espanhol vai depor por corrupção no dia 26

Madri, 30 mai (EFE). - O presidente do governo espanhol, Mariano Rajoy, terá que depor pessoalmente no próximo dia 26 de julho, como testemunha em um julgamento por corrupção em que suspeita-se que o seu partido, o PP (centro-direita), esteja vinculado.

O júri do chamado Caso Gürtel decidiu nesta terça-feira pelo comparecimento físico de Rajoy, que tinha pedido para prestar depoimento através de videoconferência. Conforme explicado, ele não participará como chefe do Executivo, mas como cidadão espanhol.

Ao conhecer a decisão, ele afirmou sempre estará "à disposição da Justiça".

"Digo o mesmo que disse no início. Estou disponível para a Justiça", afirmou, em entrevista coletiva ao lado do presidente português, António Costa, no encerramento da cúpula hispano-portuguesa na cidade de Vila Real, no norte de Portugal.

O Caso Gürtel investiga supostos pagamentos ilegais ao PP entre 1999 e 2005, período em que o atual chefe do Executivo ocupou importantes cargos no partido, do qual é presidente desde 2004. Por esse motivo a Audiência Nacional Espanhola convocou Rajoy como testemunha.

Quando soube que a Justiça o convocaria, no mês passado, ele disse à imprensa que considerava isso "um ato de pura normalidade" na democracia.

O Caso Gürtel é um dos casos de corrupção mais relevantes dos últimos anos na Espanha e se centra em investigar uma rede de contratos feitos entre empresários e funcionários do PP durante vários anos, bem como a existência de uma suposta contabilidade paralela no partido alimentada por pagamentos escusos.

nac-bb/cdr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos