Unicef registra mais de 55 mil casos de suspeita de cólera em maio no Iêmen

Cairo, 30 mai (EFE).- Mais de 55 mil casos de suspeita de cólera foram registrados no Iêmen nas últimas quatro semanas, o que representa um aumento sem precedentes de possíveis afetados pela doença no país, informou nesta terça-feira o Unicef.

Em comunicado, o diretor regional do Unicef, Geert Cappelaere, afirmou que o tempo para conter o surto no país está acabando e que a maior parte das suspeitas envolve crianças.

"Cada vez mais crianças morrem diariamente no país devido a causas que podem ser prevenidas, como a desnutrição e a cólera", alertou o diretor regional do Unicef.

No último dia 16 de maio, o Unicef já tinha advertido que as crianças representam um terço das vítimas de cólera no país. Na nota, Cappelaere afirma que o Iêmen não pode seguir nessa situação e destaca a necessidade de interromper o conflito que atinge o país para poder tratar os infectados com a doença.

De acordo com o último balanço divulgado pelo governo rebelde do Iêmen, 478 pessoas morreram devido à epidemia de cólera no país. Para conter a expansão da doença, a ONU pediu US$ 55,4 milhões para custear o tratamento nos próximos seis meses.

Segundo a ONU, cerca de 100 mil pessoas podem contrair a cólera no Iêmen caso o surto da doença não seja contido.

O sistema de saúde do Iêmen está profundamente debilitado após dois anos de conflito entre as forças leais ao presidente do Iêmen, Abdo Rabbo Mansur Hadi, e os rebeldes houthis.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos