EUA condenam atentado em Cabul e Trump conversa com presidente afegão

Washington, 31 mai (EFE).- O governo dos Estados Unidos condenou o "covarde" ataque com bomba desta quarta-feira em Cabul, que matou pelo menos 90 pessoas e deixou mais de 460 feridos, entre eles 11 americanos.

Segundo indicou a Casa Branca, o presidente dos EUA, Donald Trump, telefonou hoje para seu homólogo afegão, Ashraf Ghani, após o atentado realizado com um caminhão-bomba em uma área central de Cabul, repleta de pessoas e próxima a embaixadas internacionais.

O porta-voz da Casa Branca, Sean Spicer, assegurou que os Estados Unidos "condenam com força" o ataque indiscriminado, que ainda não foi reivindicado por nenhum grupo, enquanto os talibãs negaram serem os responsáveis.

Por sua vez, o secretário de Estado, Rex Tillerson, ofereceu através de um comunicado suas condolências às vítimas, incluindo os afegãos e membros do corpo diplomático afetados pela intensa explosão.

Além disso, Tillerson desejou que os americanos feridos se recuperem rápido, ao mesmo tempo em que elogiou às forças de segurança afegãs por sua resposta após o ataque.

"Os Estados Unidos permanecerão com o governo e o povo do Afeganistão frente a este ato covarde e sem sentido", indicou Tillerson em seu comunicado.

Segundo a emissora "CNN", pelo menos 11 americanos ficaram feridos no ataque de hoje em Cabul, no qual um caminhão repleto de explosivos foi detonado enquanto tentava chegar à Zona Verde, onde se encontram as embaixadas e escritórios do governo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos