Estado Islâmico reivindica ataque a hotel de Manila que deixou 37 mortos

Cairo, 2 jun (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico (EI) reivindicou nesta sexta-feira o ataque perpetrado na noite de ontem em um hotel próximo ao aeroporto de Manila, no qual morreram pelo menos 37 pessoas e mais de 50 ficaram feridas.

O grupo jihadista identificou o agressor como "o irmão Abu al Jair al Arjabili", assegurando que o homem "conseguiu se infiltrar com sua metralhadora" no hotel para matar "um grupo de cristãos combatentes", segundo uma mensagem divulgada pelo EI através do Telegram, cuja autenticidade não pôde ser comprovada.

Um total de 36 vítimas faleceram asfixiadas pela fumaça provocada por um incêndio causado pelo agressor em um quarto do hotel, que abrigava um cassino, segundo a versão oficial filipina.

De acordo com as autoridades filipinas, o agressor se escondeu em um quarto, no qual ateou fogo após jogar gasolina em várias mesas do cassino, e logo depois se suicidou com um tiro na cabeça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos