EUA começam a pedir dados de redes sociais a alguns solicitantes de visto

Washington, 2 jun (EFE).- Os Estados Unidos começaram a exigir a alguns solicitantes de visto no mundo todo que preencham um questionário que lhes pede seus nomes de usuário em redes sociais nos últimos cinco anos e dados pessoais relativos aos últimos 15, confirmou nesta sexta-feira à Agência Efe uma fonte oficial.

O Departamento de Estado americano calcula que essas mudanças afetarão "uma fração de 1% das mais de 13 milhões de solicitações de visto" que recebe anualmente em suas embaixadas de todo o mundo, assegurou à Efe um porta-voz dessa agência, William Cocks.

Concretamente, seriam cerca de 65.000 - segundo o Departamento de Estado - os afetados anualmente pela nova política, que foi aprovada pela Casa Branca no último dia 23 de maio e começou a ser implementada em 25 de maio por um período renovável de seis meses.

A medida responde a uma ordem emitida no último dia 6 de março pelo presidente americano, Donald Trump, na qual exigia que se endurecesse o escrutínio dos solicitantes de visto no exterior, com a intenção de bloquear a entrada de possíveis terroristas e outras pessoas que pudessem ameaçar a segurança nacional.

"O Departamento de Estado começou a colher informação adicional dos solicitantes de visto no mundo todo quando um funcionário consular determinar que se requer essa informação para confirmar a sua identidade ou para fazer um escrutínio mais rigoroso relacionado com a segurança nacional", detalhou Cocks.

O questionário, ao qual a Efe teve acesso, pede que os solicitantes proporcionem os nomes de usuário que usaram em todo tipo de redes sociais nos últimos cinco anos, bem como os seus endereços de e-mail e os seus números de telefone no mesmo período.

Também lhes exige os números de todos os seus passaportes anteriores, os nomes e data de nascimento de seus familiares, e os dados dos seus empregadores nos últimos 15 anos, bem como os países que tenham visitado e todos os endereços nos quais tenham vivido nesse mesmo período.

O Departamento de Estado já pede a todos os solicitantes de visto no mundo todo a sua informação de contato, o seu histórico de viagem, seus endereços prévios e detalhes sobre seus familiares, mas em um período muito menor ao do novo questionário.

Além disso, neste ano os Estados Unidos começaram a pedir aos viajantes submetidos ao programa de isenção de visto "visa waiver" que proporcionem de maneira voluntária os nomes das suas contas em redes sociais para aumentar os controles.

O novo questionário para solicitantes de visto também é supostamente voluntário, ainda que o Departamento de Estado alerte no mesmo que "não proporcionar a informação requerida pode atrasar ou impedir o processamento da solicitação".

A mudança gerou críticas de organizações como a União Americana de Liberdades Civis (ACLU), uma das mais críticas com as medidas de Trump para endurecer os controles migratórios, que considerou o novo questionário "invasivo" e parte do ataque "aos imigrantes" do novo governo.

"O governo acrescentou estas perguntas sem clareza sobre quem ou quando serão aplicadas, o que provavelmente resultará em instâncias de discriminação por aspecto físico", opinou o diretor de política nacional da ACLU, Faiz Shakir, em um comunicado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos