Morre o jovem que foi alvejado durante protesto no oeste da Venezuela

Caracas, 2 jun (EFE).- O Ministério Público da Venezuela informou nesta sexta-feira que o jovem de 20 anos que ficou ferido por disparos de arma de fogo em uma manifestação no dia 17 de maio na localidade de Tovar, no estado de Mérida, não resistiu e acabou morrendo.

Em uma série de mensagens no Twitter, o Ministério Público indicou que analisará este caso e identificou a vítima como Luis Miguel Gutiérrez Molina.

"O jovem foi atingido por um disparo em 17 de maio em uma manifestação que acontecia no município de Tovar", nos Andes venezuelanos, disse o Ministério Público.

As autoridades não ofereceram de maneira imediata mais detalhes sobre o caso.

O prefeito da cidade de Mérida, o opositor Carlos García, lamentou o ocorrido através da sua conta no Twitter.

"Ofereço nosso sentido pesar para familiares e amigos de Luis. Mais um jovem que teve seu futuro roubado", afirmou García.

O governador do estado Miranda e líder da oposição, Henrique Capriles, também comentou o fato nessa mesma rede social.

"Outro jovem venezuelano que lutou durante duas semanas por sua vida depois de ser atacado por capangas de (Nicolás) Maduro! Deus o tenha em sua glória!", escreveu Capriles, que já concorreu duas vezes à presidência da Venezuela.

Com a morte de Gutiérrez sobe para 63 o número de vítimas fatais por consequência da violência desencadeada em algumas manifestações, favoráveis e contrárias ao governo venezuelano, que há 63 dias sacodem a Venezuela.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos