PKK reivindica ataque a helicóptero turco na província de Sirnak

Istambul, 2 jun (EFE).- A guerrilha do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) reivindicou nesta sexta-feira o ataque contra um helicóptero militar turco que caiu há dois dias na província de Sirnak, com 13 militares a bordo.

O comunicado do PKK, divulgado pela agência curda "Firat", próxima ao grupo armado, afirmou que uma unidade de guerrilheiros na província de Sirnak atacou o helicóptero tipo Cougar que transportava uma força de coordenação do "exército ocupante".

"O helicóptero foi atingido e caiu enquanto tentava se afastar do local", afirmou o comunicado.

O PKK afirma que o general Aydogan Aydin, militar de maior patente que morreu no acidente, fazia parte do Jitem, uma unidade das forças de segurança turcas acusadas de ter participado desde os anos 1980 de uma guerra suja contra os militantes curdos.

Segundo o Exército da Turquia, o helicóptero caiu após se chocar com uma linha de alta tensão em uma região montanhosa apenas a 20 quilômetros da fronteira com o Iraque, matando os 13 ocupantes.

Mas a agência "Firat" contraria a versão do Exército.

O helicóptero desapareceu do radar às 16h40 GMT. Segundo um comunicado do governador da província de Sirnak, a aeronave caiu apenas três minutos depois de decolar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos