Mulher é detida na Bolívia por usar nome de Evo Morales em fraude

La Paz, 3 jun (EFE).- O ministro do Interior da Bolívia, Carlos Romero, informou neste sábado da detenção de uma mulher por usar o nome do presidente Evo Morales para pedir dinheiro a uma vítima com a promessa de facilitar a entrada do seu filho na Academia Nacional de Polícia (Anapol).

A denunciada, identificada como M.D.M, teria usado o nome de Morales, além de assegurar que trabalhava diretamente com a irmã do governante, Esther Morales, segundo explicou Romero em uma entrevista coletiva em La Paz.

Segundo o relato da polícia, sua vítima, um homem identificado como E.M., pagou 19.000 pesos bolivianos, o equivalente a cerca de R$ 9.000, para esse fim.

Após ser denunciada, M.D.M. se escondeu, razão pela qual, segundo Romero, "sua captura não foi fácil" e "o próprio presidente pediu que se extremassem as ações" encontrá-la.

Segundo o diretor da Força Especial de Luta Contra o Crime (FELCC) em La Paz, Johnny Aguilera, a mulher utilizou o mesmo método para obter mais dinheiro através de depósitos no Banco Nacional da Bolívia.

Romero também informou de outra tentativa de fraude, desta vez através do uso do nome do vice-presidente, Álvaro García Linera.

Nesse caso, uma mulher de iniciais M.R.Q. se fez passar por uma funcionária da vice-presidência para pedir uma quantia de dinheiro através do WhatsApp a uma pessoa com a promessa de resolver uma dívida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos