Presidente afegão diz que país está "sob ataque" e pede unidade

Cabul, 3 jun (EFE).- O presidente do Afeganistão, Ashraf Gani, afirmou neste sábado que o país está "sob ataque" e pediu calma depois que várias explosões deixaram pelo menos quatro mortos neste hoje durante o funeral de uma vítima mortal nos confrontos entre forças de segurança e manifestantes ontem em Cabul.

"O presidente Ashraf Gani condena o atroz atentado contra as pessoas que enterravam o morto. O país está sob ataque, devemos ser fortes e (permanecer) unidos", indicou o Palácio Presidencial na sua conta do Twitter.

O dirigente pediu aos afegãos "unidade" para enfrentar os futuros desafios, em mensagem postada após uma semana negra na capital afegã.

Durante a tarde, ocorreram três explosões em série no oeste da cidade, perto de onde acontecia o funeral de uma das vítimas mortais de ontem durante um protesto que pedia justiça para os feridos em um atentado ocorrido no dia anterior.

Pelo menos quatro pessoas morreram e várias dezenas ficaram feridas no ataque contra o ato funerário, no qual participavam vários altos cargos, entre eles o chefe do Governo afegão, Abdullah Abdullah, e o ministro de Assuntos Exterioes, Salahuddin Rabbani. Nenhum dos dois saiu ferido do ataque.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos