Túmulo do ex-presidente argentino Raúl Alfonsín é vandalizado em Buenos Aires

Buenos Aires, 3 jun (EFE).- O mausoléu onde estão os restos mortais do ex-presidente Raúl Alfonsín, o primeiro governante da Argentina após o fim da última ditadura militar, foi vandalizado com pichações com mensagens políticas.

"Assim deixaram o mausoléu de Raúl Alfonsín. Só pode ser obra de autoritários e marginais", escreveu neste sábado em sua conta no Twitter o deputado Ricardo Alfonsín, filho do falecido governante.

O túmulo de Alfonsín - presidente entre 1983 e 1989, dirigente da União Cívica Radical (UCR) e falecido em 2009 - se encontra no cemitério de Recoleta, um dos mais importantes de Buenos Aires.

O mausoléu apareceu com uma pichação com as letras "PV", historicamente conhecida como uma abreviatura da consigna "Perón vuelve" (Volta Perón), em alusão ao fundador do Partido Justicialista (PJ), o três vezes presidente argentino Juan Domingo Perón, cujo movimento foi o tradicional rival político da UCR.

"Já recebi mensagens de repúdio do PJ", acrescentou Ricardo Alfonsín em seu perfil na rede social.

Além da sigla PV, também foi pintado com tinta azul o rosto da escultura de Raúl Alfonsín colocada em seu túmulo.

Em conversa com a emissora de televisão "Crónica" às portas do cemitério, Ricardo Alfonsín repudiou este ato de vandalismo e a "intolerância" evidenciada pelos criminosos, ainda não identificados.

O parlamentar disse ainda que os funcionários do cemitério já iniciaram as tarefas de limpeza no mausoléu para remover as pichações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos