May defende reformas legais para lutar contra extremismo islâmico

Londres, 4 jun (EFE).- A primeira-ministra britânica, a conservadora Theresa May, propôs neste domingo revisar a legislação antiterrorista no Reino Unido para lutar contra a "malvada ideologia" do extremismo islâmico.

May presidiu nesta manhã uma reunião do comitê de emergências Cobra, no qual participa a cúpula da segurança e a inteligência britânicas, após os ataques terroristas que deixaram ontem à noite sete mortos e 48 feridos em Londres.

A chefe de Governo se mostrou partidária de tomar novas medidas para evitar a radicalização através de internet, assegurar que a polícia conta com as capacidades necessárias para combater a ameaça terrorista e estabelecer penas mais duras para alguns delitos.

"Há muita tolerância para o extremismo no nosso país", disse May em um comparecimento perante o número 10 de Downing Street, sua residência oficial na capital britânica.

Nos últimos três meses, o Reino Unido sofreu outros dois atentados terroristas.

Em março, Khalid Masood matou cinco pessoas em um ataque diante do Parlamento britânico, depois de atropelar uma multidão e esfaquear um policial, e há duas semanas, o suicida Salman Abedi explodiu uma bomba em Manchester que matou 22 pessoas.

A primeira-ministra indicou que a organização dos três ataques não está conectada, mas tem relação pelo extremismo islâmico, uma ideologia que "predica o ódio, procura a divisão e promove o sectarismo".

"Derrotar essa ideologia é um dos grandes desafios do nosso tempo, mas não se pode fazer frente só com intervenções militares", afirmou.

Por esse motivo, a dirigente conservadora estabeleceu como prioridade "regular o ciberespaço" com a colaboração da comunidade internacional, para tratar de "apartar esta violência das mentes das pessoas e fazer com que entendam nossos valores".

O Reino Unido deve acabar com os "lugares seguros" para os extremistas no mundo" real.

"Devemos ser mais robustos na hora de identificar e apontar (o extremismo), tanto no setor público como no setor privado. Isso requer em algumas ocasiões manter algumas conversas difíceis, em algumas ocasiões embaraçosas, mas o país necessita agir unido para lutar contra este extremismo", afirmou.

A primeira-ministra, que tenta vencer as eleições gerais da próxima quinta-feira, disse que é necessário revisar a estratégia antiterrorista no Reino Unido para assegurar que a polícia e os serviços de segurança contam com os "poderes" que requerem para agir de forma efetiva.

May assegurou que pretende alongar a duração das condenação por algumas penas relacionadas com o terrorismo, "inclusive aquelas sobre delitos aparentemente menores".

A chefe de Governo confirmou que a campanha eleitoral, que a maioria de partidos suspendeu a nível nacional perante os ataques de ontem, será retomada amanhã e as eleições serão realizadas como estava previsto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos