Rússia diz que crise do Golfo é "assunto interno" de países da região

Moscou, 5 jun (EFE).- A Rússia considera que a decisão de romper as relações diplomáticas com o Catar, adotada por vários países do Oriente Médio, é um "assunto interno", e acredita que isso não afetará a luta contra o terrorismo.

"A decisão dos países árabes de romper laços diplomáticos com o Catar corresponde a eles, são relações bilaterais", disse o ministro de Assuntos Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov.

Lavrov acrescentou que a Rússia está interessada em "manter boas relações com todos" e nunca se envolve nas "dificuldades de outros países".

Por sua vez, o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse que "a Rússia não intervém em assuntos internos de outros países" e falou que acredita que a situação não afeta a luta antiterrorista.

Com relação às acusações sobre o apoio a organizações terroristas feitas contra o Catar, Peskov optou por não comentá-las.

"Gostaria de não comentar este assunto", insistiu aos jornalistas.

O funcionário também deixou sem resposta a pergunta sobre o possível apoio de Moscou a Doha por causa da situação. "Não responderei a esta pergunta".

Vários países árabes, entre eles Arábia Saudita e Egito, romperam as suas relações diplomáticas com o Catar após culpar o país de respaldar o terrorismo e de não cumprir com os acordos entre os membros do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG), que é composto por Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Catar, Omã, Bahrein e Arábia Saudita.

O Ministério de Assuntos Exteriores catarianos rejeitou as acusações ao afirmar em uma nota que "esta medida não são justificadas e se fundamentam em calúnias, que não se sustentam sobre nenhuma evidência".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos