Unicef diz que 100 mil crianças estão presas entre fogo cruzado em Mossul

Cairo, 5 jun (EFE).- Cerca de 100 mil crianças estão presas no fogo cruzado na cidade setentrional de Mossul, onde ocorre uma batalha para expulsar o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) desta localidade iraquiana, advertiu nesta segunda-feira o Unicef.

O representante da organização no Iraque, Peter Hawkins, assegurou em um comunicado que calcula que "cerca de 100 mil crianças permanecem em condições extremadamente perigosas no casco antigo e em novas zonas do oeste de Mossul", onde se encontram "as no fogo cruzado".

Além disso, assegurou que a agência da ONU está recebendo "notícias alarmantes de civis que estão sendo assassinados no oeste de Mossul, entre eles várias crianças. Algumas teriam sido assassinadas enquanto tratavam de fugir desesperadamente dos combates".

A Comissão de Direitos Humanos do Conselho provincial de Nínive, da qual Mossul é capital, denunciou ontem a morte de pelo menos 170 civis no dia 1 de junho pelas mãos dos jihadistas em um bairro situado na parte ocidental do rio Tigre, que divide a cidade em duas.

Os civis foram mortos diante da entrada de uma fábrica de bebidas gasosas.

Hawkins também disse que "os ataques contra civis e infraestruturas civis como hospitais, clínicas, escolas, casas e sistemas de água devem parar imediatamente".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos