Rússia defende pronta adesão do Irã na Organização de Cooperação de Xangai

Moscou, 7 jun (EFE).- A Rússia defendeu nesta quarta-feira que o Irã já apresenta todas as condições de ser membro de pleno direito da Organização de Cooperação de Xangai (OCS), que celebra a partir de amanhã uma cúpula em Astana, no Cazaquistão.

"Acreditamos que já existam todas as condições para resolver essa solicitação (do Irã) em sentido positivo. Ainda que não seja nesta cúpula de Astana, nas próximas teremos que decidir sobre aceitar o Irã como membro de pleno direito", disse o conselheiro da presidência da Rússia, Yuri Ushakov.

A adesão do Irã à organização será um dos temas debatidos na cúpula que começa amanhã no Cazaquistão. A reunião plenária da organização está marcada para sexta-feira, pouco antes da cerimônia da abertura da Expo 2017 de Astana.

"Os iranianos participam ativamente da atividade da OCS na qualidade de país observador há mais de dez anos. Achamos que o assunto já está suficientemente maduro para ser resolvido. Mas há nuances nas posições de vários países sobre o tema", disse Ushakov.

A Índia e o Paquistão se tornarão membros de pleno direito da OCS na sexta-feira, se somando à Rússia, China, Cazaquistão, Quirguistão, Uzbequistão e Tadjiquistão.

Após a entrada dos dois países - vizinhos e históricos rivais -, a OCS deixará de ser um fórum que só reúne China, Rússia e ex-repúblicas soviéticas na Ásia Central.

"Com a entrada da Índia e do Paquistão se abre uma nova etapa para a organização. Acreditamos que isso ampliará seu prestígio internacional", destacou o conselheiro de Vladimir Putin.

Os oito chefes de Estado e de governo dos países-membros da OCS debaterão na sexta-feira passos concretos para promover a atividade da organização em âmbitos prioritários como a segurança, a luta contra o terrorismo, a economia e os direitos humanos.

"O terrorismo é um dos temas centrais, também no contexto da estrutura antiterrorista regional da OCS. Além disso, está prevista a aprovação de uma convenção da OCS sobre a luta contra o extremismo, que vai expor uma visão geral sobre o assunto", explicou o representante do Kremlin.

Durante a cúpula está prevista a assinatura de 11 documentos, incluindo a Declaração de Astana e o relatório sobre a atividade anual da OCS. Após a conclusão do encontro, os líderes participarão da abertura da Expo 2017 na capital cazaque.

A Expo de Astana, que terá a participação de 115 países e 22 organizações internacionais, será aberta ao público no sábado, com o lema "A Energia do Futuro", e termina em 10 de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos