Comey considera que foi demitido por pressão de escândalo russo sobre Trump

Washington, 8 jun (EFE).- O ex-diretor do FBI James Comey afirmou nesta quinta-feira que considera que foi demitido pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pela forma que estava comandando a investigação sobre a interferência da Rússia nas eleições de 2016 e pela pressão do caso sobre o republicano.

"Não sei por que foi demitido. Pego as palavras do presidente para dizer que fui demitido pela forma que comandava a investigação sobre a Rússia e a pressão que isso exercia sobre ele", afirmou Comey durante audiência no Comitê de Inteligência do Senado.

Em uma entrevista à emissora "NBC" após a demissão de Comey, Trump afirmou que o "caso russo" pesou na decisão. Além disso, destacou que a investigação sobre a possível coordenação de membros de sua campanha com o Kremlin era uma "invenção".

O ex-diretor do FBI opinou hoje que Trump podia "estar frustrado" porque a investigação envolvendo a Rússia tomava muito tempo e energia da esfera pública.

Comey acusou na audiência que Trump e sua equipe mentiram ao divulgar as causas da demissão, inicialmente motivadas na suposta perda de confiança dos agentes do órgão no ex-diretor.

O ex-chefe do FBI também usou a audiência para apontar as contradições apresentadas pelo discurso de Trump sobre a demissão.

O depoimento de Comey está sendo acompanhado com muita expectativa porque pode estabelecer as bases para um pedido de impeachment de Trump por obstrução de justiça.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos