Líderes da OCS dão início à cúpula em Astana que reunirá Índia e Paquistão

Astana, 8 jun (EFE).- Os líderes da Organização de Cooperação de Xangai (OCS), liderada pela Rússia e China, deram início nesta quinta-feira à cúpula anual, que nesta ocasião terá a participação como membros de pleno direito da Índia e do Paquistão, duas potências nucleares vizinhas e rivais.

A cúpula começou hoje com uma recepção e um show que contou com a presença dos líderes dos seis países-membros: Rússia, China, Cazaquistão, Quiguistão, Uzbequistão e Tajiquistão, que realizarão amanhã a sessão plenária na qual serão admitidos os dois novos membros.

Durante o dia de hoje e, após a chegada à capital cazaque, os governantes aproveitaram para manter alguns encontros bilaterais, como no caso dos presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e do Cazaquistão, Nursultan Nazarbayev, que se reuniram separadamente com o líder chinês, Xi Jinping.

No início da reunião, Putin expressou sua satisfação pela próxima visita que será feita por seu colega chinês a Moscou entre 3 e 4 de julho.

"Estamos preparando sua viagem à Rússia, o principal evento nas relações entre os nossos países", disse Putin a seu colega chinês no encontro à margem da cúpula da OCS.

Putin acrescentou que desejava tratar com o líder do gigante asiático questões "da agenda bilateral e problemas internacionais" como a questão nuclear na península coreana.

Xi, por sua vez, destacou "o alto nível que alcançaram os laços russo-chineses e o seu caráter estratégico", que "tem uma grande importância para o mundo".

Antes deste encontro, Xi foi recebido por seu colega cazaque, Nazarbayev, na chegada a Astana para a Cúpula da OCS, o organismo criado em 2001 para fortalecer a segurança e a cooperação econômica e cultural na região.

"O principal assunto do qual falamos é a cooperação energética", disse à imprensa Nazarbayev.

"As companhias chinesas, que têm 25% do petróleo produzido no Cazaquistão, desejam alongar os contratos. Vamos considerar isso seriamente, porque são bons parceiros no nosso trabalho conjunto", acrescentou.

Nazarbayev sublinhou que entre Pequim e Astana "não há assuntos sem resolução. Qualquer problema que surge é resolvido imediatamente. A China se transformou no principal parceiro econômico do Cazaquistão em termos de investimento estrangeiro direto, créditos e empresas mistas".

Nazarbayev também manteve uma reunião com o premiê da Índia, Narendra Modi, enquanto Putin tinha previsto conversar com o chefe de Governo do Paquistão, Nawaz Sharif.

Durante a reunião plenária de amanhã, o Paquistão e a Índia se transformarão em membros de pleno direito da OCS.

"Com o investimento da Índia e do Paquistão (...) se abre uma nova etapa para a organização. Achamos que aumentará seu prestígio internacional", comentou Yuri Ushakov, conselheiro de Putin.

Além disso, o Kremlin defende que já há todas as condições para que o Irã se transforme também membro de pleno direito da OCS, e o assunto será um dos temas de debate na cúpula.

"Os iranianos participam ativamente na atividade da OCS em qualidade de país observador há mais de dez anos. Achamos que o assunto já está suficientemente maduro para ser resolvido. Mas há diferenças nas posições de vários países" sobre o tema, apontou Ushakov.

Os líderes da OCS darão amanhã passos concretos para impulsionar a atividade da organização em âmbitos prioritários como a segurança, a luta antiterrorista, a economia e as relações humanitárias.

Ao término da cúpula, comparecerão à cerimônia de inauguração da EXPO 2017.

A EXPO Astana, na qual vão a participar 115 países e 22 organizações internacionais, será aberta ao público no dia 10 sob a lema "A energia do futuro "e se prolongará até 10 de setembro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos